- Publicidade -
17 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Mutirão das Árvores vai plantar 100 milhões de mudas em Minas Gerais

- Publicidade -
Mutirão das Árvores vai plantar 100 milhões de muda em Minas Gerais
imagem ilustrativa

O Governo de Minas firmou, nesta quarta-feira (29), protocolo de intenções com a Fundação Pitágoras para implantar e fortalecer o movimento Mutirão das Árvores no estado. O projeto, coordenado pela fundação, tem como objetivo incentivar a preservação e a restauração ambiental por meio do plantio de árvores. A expectativa é a de que 100 milhões de mudas sejam plantadas em Minas Gerais, respeitando os biomas de cada região.

Para celebrar a iniciativa, uma muda de quaresmeira foi plantada pelo governador Romeu Zema, pelo vice-governador professor Mateus, pela secretária de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MG) Luísa Barreto e pelo professor Evando Neiva, fundador da Fundação Pitágoras e líder do movimento. O evento foi na sede da Fundação João Pinheiro (FJP), em Belo Horizonte. O plantio foi feito ao lado de onde ficava uma árvore recentemente suprimida por recomendação de autoridades competentes pela identificação de riscos à estrutura do prédio e à segurança dos servidores e alunos da instituição.

- Publicidade -

O governador destacou a importância da iniciativa. “Mais um passo rumo à sustentabilidade. Há muito mais propaganda e discurso do que ações efetivas, como a que estamos realizando aqui. E, na minha gestão, estamos adotando ações concretas para preservar o meio ambiente. Tenho a certeza de que estamos avançando em várias pautas e realizando ações que realmente façam diferença”, destacou.

Para o vice-governador, a iniciativa traz impactos positivos e incentiva a mobilização de mais pessoas em prol do bem comum a todos. “Ações como essa acendem uma pontinha de esperança, pois são iniciativas que representam, sem dúvida, mobilização. Acredito que nós ainda temos uma tarefa a cumprir na sensibilização e mobilização de outras pessoas, para que elas possam também se unir a esta causa que é o compromisso com a sustentabilidade por meio de ações efetivas”, disse o vice-governador.

Mobilização

O Mutirão das Árvores tem como meta plantar 100 milhões de árvores em Minas Gerais e 1 bilhão em todo o Brasil até 2032, de acordo com as especificidades de cada bioma. Em Minas, além da Seplag-MG, que coordena a iniciativa no Executivo, outras quatro pastas da administração pública estão envolvidas e assinaram o protocolo: as Secretarias de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa-MG), de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), de Educação (SEE-MG) e de Desenvolvimento Social (Sedese), além do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) e da FJP.

“Tenho a certeza de que esse mutirão pelo plantio de árvores será o maior na história de Minas Gerais e também um marco na história do Brasil, já que este movimento começa no estado e vai se espalhar para o resto do país”, destacou a secretária de Planejamento e Gestão. Ela também abordou o alcance da iniciativa. “Estamos pensando grande e vamos plantar pelo menos 100 milhões de árvores aqui em Minas. E, com toda certeza, cumpriremos o compromisso de andarmos muito rápido para chegarmos logo a essa meta no estado. E mais de 1 bilhão de mudas em todo o Brasil”, paneja Luísa Barreto.

Mutirão das Árvores

A iniciativa nasceu do projeto Conspiração Mineira pelo Plantio de Árvores, firmado entre o Governo de Minas e a Fundação Pitágoras em 2022. Em 2023 o projeto se expandiu nacionalmente e Minas Gerais foi o primeiro estado a começar a executá-lo. Desse modo, a proposta é que Minas seja referência para os outros estados no que diz respeito à efetividade, agilidade e robustez das iniciativas de plantio.

A princípio, o foco inicial do Mutirão das Árvores é a mobilização de alunos de escolas públicas e privadas por meio de ações de educação ambiental com apoio de parceiros locais e estaduais. Entretanto, oprojeto também envolve empresas e organizações do terceiro setor, em ação de mobilização geral.

A Seplag-MG vai coordenar as atividades entre as pastas. Além de ser ponto focal na comunicação entre a iniciativa e o governo e contribuir com o mapeamento de locais de plantio. O Protocolo de Intenções entrará em vigor com a assinatura e terá duração de 24 meses, contados a partir desta data. O prazo de vigência, entretanto, poderá ter prorrogação mediante Termo Aditivo devidamente assinado pelos integrantes.

Veja também
- Publicidade -






Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!