- Publicidade -
15.8 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Exposição “Renda-se!” questiona o conceito de feminino e seus simbolismos

- Publicidade -
divulgação

Nesta segunda-feira (29), inicia-se a exposição de fotoperformances Renda-se! no Espaço Cultural da Urca.

A artista visual e escritora Danielle Vilas Bôas convida à reflexão partindo de um conceito elaborado através da renda e seus simbolismos associados ao universo feminino. São apresentadas fotografias realizadas a partir de performances, onde é utilizado não só o conceito da palavra renda, mas também sua simbologia, semântica e materialidade.

- Publicidade -

Busca-se, assim, revelar algumas das estruturas de opressão que atingem as mulheres. O trabalho revisita o próprio conceito de feminino e dos elementos que atravessam a compreensão do que se identifica enquanto feminino ou parte de sua “identidade”.

Usando da renda como símbolo associado à ideia de um feminino elegante, dócil ou santo, mas também ao prazer e à sensualidade, a artista traz o questionamento de como essas simbologias são usadas e o quanto – e como, atravessam as vidas envolvidas por elas.

- Publicidade -

Através do jogo de palavras com renda – substantivo e renda – presente do imperativo do verbo render, apresenta-se a pergunta principal para o desenvolvimento do trabalho: “Uma mulher adornada de renda está rendada ou rendida?”

Para este trabalho, parte-se do conceito e do envolvimento com a renda para a construção coletiva, com mulheres artistas de diferentes contextos e linguagens, para executar as obras autorais que compõem a exposição, tendo como diretriz a visão central de Danielle.

- Advertisement -

Tem-se, assim, não apenas o diálogo entre as linguagens, mas, principalmente, o diálogo entre as narrativas trazidas a partir do processo e experiências pessoais das mulheres envolvidas no projeto. Um trabalho que resulta em um produto visual, mas que é antecedido por incontáveis atravessamentos. A mulher, nesta exposição, não é colocada apenas como “modelo” ou “musa”, como comumente foi utilizado ao longo da história da arte e cultura. Aqui, as mulheres são, de forma conjunta e dialogada, autoras, produtoras – e não produtos – bem como a própria arte, não como objeto de contemplação, mas como convite à reflexão e desconstrução.

Um trabalho coletivo, em que as participantes mergulham na proposta da artista e em sua visão, questionando o conceito de feminino e dos elementos a ele associados.

Aline Bueno concebe o vestido de renda, a partir da técnica de modelagem, construindo as camadas e aplicações em renda diretamente no manequim, formando uma peça única, feita exclusivamente para a performance e para a intérprete. O figurino é formado por diversas camadas de material, de simbolismo, de vivências e impressões acessadas e compartilhadas entre as artistas da equipe.

Tendo o corpo como suporte, em uma performance direcionada para a fotografia, Évila dos Anjos interpreta as nuances do conceito e estabelece um diálogo de energia entre o figurino, a ideia do feminino e seus atravessamentos e manifestações.

Maria Blasi congrega todo universo anteriormente visitado, em todas as etapas de criação, registrando a imagem conceito, em diferentes símbolos, através da fotografia.

Serviço

Exposição de fotoperformances Renda(se!)

Galeria Malala no Espaço Cultural da Urca

De 20 de janeiro a 4 de fevereiro

Equipe

Danielle Vilas Bôas – concepção e curadoria

Aline Bueno – artista visual/têxtil – figurinista

Maria Blasi – fotografia

Évila dos Anjos – Intérprete

Will Moreira – designer gráfico

Este trabalho é realizado através do edital 03/2023 Identidade Feminina – Arte e Cultura, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de Poços de Caldas.

 




- Publicidade -
Veja também
- Publicidade -






Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!