- Publicidade -
20.6 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Filme de diretor poços-caldense é selecionado na 6ª Mostra Sesc de Cinema

- Publicidade -
divulgação

Nos meses de novembro e dezembro desse ano, o média-metragem “Quando uma palavra nasce”, do diretor de Poços de Caldas Valber Rodrigues, está em cartaz na 6ª Mostra Sesc de Cinema, com exibições a serem realizadas nas unidades de Poços de Caldas (5 e 8 de dezembro), Pouso Alegre (17 e 21 de outubro), Montes Claros (12 de dezembro) e Belo Horizonte (6 de dezembro).

O média-metragem ‘Quando uma palavra nasce’ estreou em 2020, na programação do Festival Poços Curte em Casa, e foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc em parceria com as produtoras Head Label Audiovisual e How Let the Dogs. A produção é uma obra multidisciplinar experimental baseada no intercâmbio entre a poesia, o teatro, o cinema e as artes plásticas e foi escrito pelo artista poços-caldense Valber Rodrigues. Em 2021, o projeto também esteve em cartaz no Festival Nacional de Teatro de Passos e no Teatro do Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), onde o trabalho foi exibido em formato de instalação artística, com o cenário do filme remontado no teatro e as projeções do filme rodam em looping.

- Publicidade -

O roteiro conta a história de uma criança na periferia da cidade, que, fugindo da violência da pobreza, encontra na arte um abrigo. E ao tornar-se um contador de histórias, reconstrói seu passado para recontá-lo, mas agora como personagem/autor da sua própria narrativa. A encenação lança mão de recursos cênicos do teatro de formas animadas na construção da narrativa e busca friccionar as fronteiras entre a ficção e a realidade, o teatro e o cinema, o personagem e o ator.

Em 2023, no Festival de Inverno de Poços de Caldas, “Quando uma palavra nasce” esteve em cartaz em formato de espetáculo de teatro, no qual além das projeções e do cenário do filme, o personagem principal recebe e conduz pessoalmente o público pelas memórias que as cenas remontam. A presença do ator em cena tensiona a relação temporal da história em busca de teatralidades oriundas do corpo/memória, essa versão conta também com trilha sonora executada ao vivo por Pedro Delboni. Portanto, ao longo do tempo o projeto transitou entre as linguagens do cinema, das artes visuais e do teatro, e as apresentações podem ser realizadas em formato de exibição de filme, instalação artística e espetáculo teatral.

- Publicidade -

O espetáculo é uma autobiografia inventada, com trilha sonora original assinada pelo músico Pedro Delboni e executada em homenagem ao avô do autor na viola de Sebastião Nunes. A ficha técnica conta ainda com a captação e edição assinada por Walter de Andrade, tatuagem por Thom Tibor e maquiagem por Danielle Marques. Valber Rodrigues, além do texto, assina a encenação do trabalho e a produção executiva do projeto.

Valber Rodrigues é ator, diretor e professor de Teatro. Produtor, assessor e conselheiro de políticas culturais 2018 – 2026, artista independente há dez anos e bacharel em Teatro pela Universidade Candido Mendes-RJ; atuou no Estúdio de Criação da Tese de Doutoramento “Drama e subjetividade na atuação contemporânea: uma apropriação das ações físicas de Stanislavski” do pesquisador e diretor Vitor Lemos na PUC – Rio. Esteve em cena com Cia. dos Bondrés, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Curitiba, atuando no espetáculo “Batalha de improvisação com Máscaras Balinesas” com direção de Fabianna de Mello e Sousa e colaboração da Ana Achcar.

- Publicidade -

Para mais informações: www.valberrodrigues.com contatovalber@gmail.com

(35) 99208-3311

 

 

 




- Publicidade -
Veja também
- Publicidade -






Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!