- Publicidade -
15 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Moradores pedem ‘tarifa zero’ no pedágio de Caldas

- Publicidade -
foto redes sociais

A população de Caldas, Santa Rita de Caldas e Ipuiuna, juntamente com a Câmara Municipal de Caldas, está se mobilizando para pedir “tarifa zero” no pedágio recém-inaugurado naquela área.

Uma petição online colhe assinaturas para que haja reversão dessa cobrança indiscriminada, alegando que ela gera grandes barreiras à integração e ao desenvolvimento econômico e social da região.

- Publicidade -
Anúncio Centro
Anúncio Centro
Anúncio Centro

A iniciativa pede às autoridades do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais e deputados da Assembleia Legislativa que “contribuam para poder reverter tamanho absurdo, que gerará consequências gravíssimas à mobilidade urbana e à integração regional”.

Segundo o informado na petição, o programa da empresa, de descontos ao longo do uso durante o mês, é uma afronta a quem vive e trabalha nas cidades da região. “Por exemplo, há moradores de Caldas que trabalham em Santa Rita e vice-versa, que terão o seu direito ao trabalho digno alijado de maneira absolutamente absurda. É ainda mais absurda a falta de respeito ao fazer dois postos de pedágio, a distâncias tão próximas um do outro, num abuso ao bom senso que não tem cabimento. Exigimos a gratuidade dos pedágios para a população que mora em Caldas, Santa Rita e Ipuiuna”.

- Publicidade -

A petição pode ser acessada aqui

Moção de apelo
A Câmara Municipal de Caldas, por sua vez, aprovou uma Moção de Repúdio a Apelo, de autoria do vereador Daniel Tygel (PT), ao governador de Minas Gerais e à empresa concessionária do trecho da BR-459, de Poços a Pouso Alegre, pela cobrança abusiva de pedágio dos moradores e trabalhadores da região.

- Advertisement -

“Esta moção de repúdio vem também com o apelo para que os responsáveis da fiscalização desta concessionária, ou seja, os órgãos do Poder Executivo do Estado de Minas Gerais e deputados da Assembleia Legislativa, contribuam para poder reverter tamanho absurdo, que gerará consequências gravíssimas à mobilidade urbana”.




- Publicidade -
Veja também
- Publicidade -












Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!