- Publicidade -
21 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Congresso da Assemae tem abertura de trabalhos em Poços nesta segunda-feira

- Publicidade -
divulgação

Foi com o auditório do Cenacon cheio e com presenças de prefeitos, parlamentares e outras autoridades, que o 51º Congresso Nacional de Saneamento da Assemae (CNSA) abriu oficialmente os trabalhos na noite desta segunda-feira (18).

A abertura teve como primeiro ato a exibição de vídeos institucionais da Assemae, de um de seus patrocinadores – Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) de Poços de Caldas – e das instituições parceiras Agência Nacional das Águas e prefeitura de Campinas. E contou também com a apresentação artística e cívica da banda da Polícia Militar de Poços de Caldas, que agraciou o evento tocando o Hino Nacional, e com o emocionante balé de dançarinas da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Poços de Caldas.

- Publicidade -
Anúncio Centro
Anúncio Centro
Anúncio Centro

O palco da abertura foi ocupado por anfitriões da cidade de Poços de Caldas, entre eles o prefeito Sérgio Azevedo, o vereador Douglas de Souza e diretor presidente do DMAE Paulo César Silva. Também estiveram na mesa representantes do Governo Federal, dos Ministérios das Cidades e o do Meio Ambiente, bem como do governo do Estado de Minas Gerais.

Outras organizações e instituições importantes para o setor do saneamento também marcaram presença no palco, como a Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente (Anamma), a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), Associação Brasileira de Águas Subterrâneas, (Abas), a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e a já mencionada ANA. E para representar a sociedade civil, foi convidado um representante da Central Única das Favelas (Cufa) de Minas Gerais.

- Publicidade -

A Assemae, entidade organizadora do Congresso, foi representada no ato por seu presidente Rodopiano Marques Evangelista e seu 1º vice-presidente Manuelito Magalhães Junior, que também é presidente da Sanasa Campinas (SP) e coordenador geral do 51º CNSA, e quem abriu os discursos da noite.

Manuelito anunciou os principais números do Congresso, que até o momento registrou mais de 2.100 inscritos, com mais de 300 municípios representados por esses participantes, e 12 patrocinadores que colaboraram para o acontecimento do evento. E lembrou ainda sobre uma das grandes missões da Assemae e de seus associados: “Temos mais de 36 milhões de brasileiros sem acesso à água potável, e mais de 90 milhões de brasileiros sem coleta e tratamento de esgoto. O que deixa claro a importância da discussão do saneamento e a atuação da Assemae, pautada em não deixar ninguém para trás, e entende que ninguém faz saneamento sozinho”.

- Advertisement -

Desafio da universalização do saneamento brasileiro

O presidente Rodopiano reforçou, em sua fala aos congressistas, sobre um dos assuntos protagonistas deste Congresso: o Novo Marco Regulatório de Saneamento e suas metas de universalização do saneamento no Brasil até 2033. Ele buscou valorizar o papel dos gestores no cumprimento dessa missão. “A tarefa é árdua, mas tenho certeza que todos vocês aqui estão empenhados em levar o saneamento a todas as regiões. Temos aqui gestores que conhecem a realidade local e botam a mão na massa. A teoria é maravilhosa, mas sem a prática não tem sentido. Não se faz saneamento apenas com estudos e canetadas. Se faz com políticas públicas sérias e estruturadas, com recursos e com pessoas especializadas na execução”, declarou.

Alexandre Anderáos, superintendente-adjunto de Regulação de Saneamento Básico da ANA, também mencionou desafios da universalização. “Para alcançarmos a universalização do abastecimento de água e tratamento de esgoto, é preciso também universalizarmos a regulação. Há ainda milhares de municípios não regulados, e isso é importante para o avanço do setor. Assim como a drenagem e o tratamento dos resíduos sólidos também são”, declarou.

Acolhida em Poços de Caldas

Poços de Caldas já é acolhedora por natureza, e o prefeito Sérgio Azevedo fez questão de valorizar a cidade em seu discurso de abertura, mencionando as melhorias na saúde, educação, turismo e, principalmente, nos serviços de saneamento. “Poços é um dos poucos municípios brasileiros, com os dois Departamentos, de água e esgoto, próprios. Era uma cidade anteriormente sem investimento, mas que hoje é industrial, turística, com excelente comércio e oferecimento de serviços, e tudo graças a um governo técnico feito com pessoas melhores em cada área”, afirmou orgulhosamente.

O diretor do DMAE da cidade, Paulo César Silva, reforçou o que foi dito pelo prefeito. “Poços de Caldas vive um círculo virtuoso de sucesso e desenvolvimento, e o DMAE faz parte desse êxito desse ciclo de progresso, pois recebe o apoio do prefeito em todas as demandas da autarquia”. E celebrou a presença de profissionais de saneamento de várias partes do Brasil na cidade. “É uma alegria enorme recebê-los aqui, onde estamos reunidos pelos melhores intercâmbios e troca de informações e experiências, reforçando a defesa sólida, eficiente e equilibrada das autarquias públicas de saneamento”.

Feira de Saneamento

Logo após a cerimônia de abertura, os participantes foram convidados a irem ao Cenacon II para a inauguração da Feira de Saneamento, um dos espaços mais importantes do Congresso da Assemae. É lá que empresas e fornecedores de equipamentos e serviços expões seus produtos, e onde os participantes podem conhecer as principais novidades do mercado, nos estandes dessas empresas. Este ano a Feira conta com 56 estandes.

A abertura contou com o tradicional corte da faixa, como símbolo da inauguração. O prefeito Sérgio Azevedo foi quem fez as honras desse momento. E foi seguido de um coquetel na área do evento. A Feira funcionará até às 19h da quinta-feira.

 




- Publicidade -
Veja também
- Publicidade -












Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!