- Publicidade -
19.7 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Tribunal de Justiça confirma existência da ‘Máfia dos Órgãos’

- Publicidade -
Juiz trabalha em mais três casos referentes a transplantes de órgãos.
Juiz trabalha em mais três casos referentes a transplantes de órgãos.

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (26), o juiz da Primeira Vara Criminal de Poços de Caldas, Narciso Alvarenga, comentou o acórdão do Tribunal de Justiça a respeito do primeiro caso julgado da ‘Máfia dos Órgãos’.

O oftalmologista Alexandre Crispino Zincone,  os urologistas Celso Roberto Frasson Scafi e Cláudio Rogério Carneiro Fernandes e o nefrologista João Alberto Góes Brandão tiveram pena reduzida para cinco anos. Como são réus primários, o cumprimento será em regime semi-aberto. Eles respondem pela retirada ilegal dos órgãos de José Domingos de Carvalho, em 2001.

- Publicidade -

A pena inicial seria de 11 anos para Zincone e de oito anos para os outros réus. Segundo o juiz, o mais importante é que o acórdão concorda com a existência de uma organização criminosa. “É uma das primeiras decisões de um tribunal reconhecendo o tráfico de órgãos no Brasil”, disse.

Outros casos

- Publicidade -

Entre os réus, dois estão presos pelo Caso Pavesi. Scafi e Fernandes estão no presídio desde o dia sete deste mês. O anestesista Sérgio Poli Gaspar continua foragido.

O juiz ainda trabalha em outros três casos que fazem parte da possível ‘Máfia dos Órgãos’. A denúncia oferecida pelo Ministério Público, acatada pelo Judiciário,  pressupõe que dois casos são de homicídio qualificado e o outro de retirada ilegal de órgãos.

- Advertisement -

Veja também
- Publicidade -












Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!