- Publicidade -
16.8 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Familiares de detentos acusam agentes de espancamento

- Publicidade -
Manifestação ocorrem em frente ao Fórum de Poços de Caldas
Manifestação ocorrem em frente ao Fórum de Poços de Caldas

Familiares de detentos do presídio de Poços de Caldas estão protestando contra supostas agressões aos presidiários, que teriam se intensificado  durante a semana passada. A manifestação está sendo realizada em frente ao Fórum.

O marido de Alessandra Cristina de Paula está preso há quatro meses. Ela conta que ele foi transferido para Três Corações depois de ser espancado por agentes penitenciários. “Amigos dentro do presídio disseram que ele saiu da cela apanhando e voltou apanhando. Quando jogaram ele de volta, foi direto para o chão. Nem passou pelo médico”.

- Publicidade -

Alessandra ainda diz que durante as visitas neste final de semana observou muitos presidiários machucados, com braços quebrados, reclamando de urinar sangue, além de terem sido levados para o pátio e agredidos pelos agentes.

O irmão de um dos detentos, que não quis se identificar, disse que os presos estão revoltados. “Tamparam as caras dos presos para não verem quem está batendo. Assim eles vão sair de lá piores, revoltados. É uma panela de pressão, na hora que estourar vai ser uma vez só. Estão cansados de apanhar”.

- Publicidade -

OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) esteve no local, representada pelo membro da Comissão de Assuntos Penitenciários Olivier Dourdin.  O advogado anotou os nomes dos presos em questão e disse que vai levar o assunto para a justiça. “Vamos relatar todos os acontecimentos ao magistrado responsável e ver o que pode fazer no sentido de levar um representante do movimento para conversar. Também podemos solicitar que sejam feitos exames de corpo de delito nos detentos”.

- Advertisement -

Olivier ainda informa que a Comissão já recebeu algumas denúncias nesse sentido, mas que nada havia sido tão concreto. “Os reeducandos tem muito receio de formalizar. Por isso fica difícil chegar até as autoridades”.

Até o momento, não foi possível falar com o diretor do presídio Marcelo Henrique de Oliveira.

Veja também
- Publicidade -












Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!