- Publicidade -
12.1 C
Poços de Caldas

- Publicidade -

Roteiro turístico rural começa em julho

- Publicidade -
O turismo rural é pouco explorado em Poços
O turismo rural é pouco explorado em Poços

Café de qualidade, fruta no pé, tutu de feijão, cachaça da boa. Essas são algumas atrações do roteiro turístico rural que deve iniciar as atividades no mês de julho. A parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Secretaria de Turismo e o Circuito Caminhos Gerais está promovendo o roteiro, que integra a cidade de Poços de Caldas com Palmeiral, distrito de Botelhos.

A intenção é explorar um viés pouco utilizado até então, pois o sul de Minas tem um potencial grande para atrair turistas interessados na vida rural. Os últimos detalhes do percurso estão sendo definidos com a ajuda de empresários, políticos e pessoas envolvidas na área. Essa foi a formação do grupo que fez uma visita técnica neste final de semana. O projeto também tem o apoio do programa de regionalização do turismo do Governo Federal.

- Publicidade -

Café de primeira

Os turistas que se interessarem pelo percurso vão entrar em uma van e seguir em direção à zona rural. A primeira parada é na Fazenda Cachoeirinha, que fica no Córrego D’antas. O cafeicultor Paulo Marioti Flora guia o grupo e explica como é todo o processo de produção, da colheita ao beneficiamento.

O café é colhido a cerca de 1.100 metros de altura, em uma terra que conta a história da cidade. A Fazenda pertencia inicialmente ao coronel Agostinho Junqueira. Depois, passou para o médico Pedro Sanches e foi adquirida pela família do atual proprietário em 1943. ” Parte do que queremos mostrar é que o produto que fazemos dá trabalho. E, principalmente um café de qualidade como o nosso, dá mais trabalho ainda. Ajuda para que as pessoas deem valor ao que estão consumindo”, conta o cafeicultor.

Os turistas podem acompanhar a colheita do café
Os turistas podem acompanhar a colheita do café

Além de admirar a paisagem da Serra da Mantiqueira, os turistas acompanham todas as atividades, uma oportunidade de vivenciar a experiência rural. O beneficiamento também é explicado em detalhes . Ao final tem café, pão de queijo, bolachas e mel esperando pelos visitantes.

As primeiras impressões foram positivas. “A gente tem experiência com turistas que realmente se espantam pelo processo do café, desde a colheita até o beneficiamento. As pessoas se surpreendem também com a propriedade, com a casa. É algo diferente.”

Fruta no pé, tutu de feijão e cachaça

Após a visita à Fazenda, a van segue para o sítio da família Consolini, também no Córrego D’Antas. A pequena propriedade tem uma realidade diferente da primeira. Ali, tem fruta no pé e um ambiente familiar. Os turistas podem dar comida aos peixes e aproveitar um pomar com mexerica, laranja, manga e jabuticaba. Tudo ali à disposição, para comer direto do pé.

Em seguida, é a vez de apreciar a comida típica do estado. Na rodovia Poços-Palmeiral, o restaurante Capitão do Lago recebe o grupo. Mais uma vez, a paisagem é das mais belas. E o almoço, caprichado. Tem arroz, ovo frito,couve refogada, tutu de feijão, porções de torresmo, tilápia, mandioca frita e linguiça. Para a sobremesa, doces típicos da vida na roça: de leite, de abóbora, de laranja e de cidra. Todos acompanhados de Queijo Minas.

A última parada é no alambique que produz a cachaça Âmago da Tradição, em Palmeiral. Os visitantes aprendem como é o processo de destilação e envelhecimento, em diferentes tonéis. E para reforçar a diferença entre os tipos de cachaça, a degustação é liberada.

Próximos passos

A comida mineira é um dos destaques do roteiro
A comida mineira é um dos destaques do roteiro

Por enquanto, o objetivo é avaliar o roteiro e deixá-lo pronto para ser comercializado no próximo mês. A divulgação também já está começando. “Já fomos a uma feira no interior de São Paulo e apresentamos o produto. Estamos agora divulgando para que tenhamos a procura”, explica a diretora de turismo Sylvia Karina Tarabole Monteiro Franco.

O empresário Wellington Rangel participou das visitas e está satisfeito com o que viu. “O roteiro me agradou bastante. Vou fazer algumas observações, mas tem potencial turístico para todas as idades. Tanto famílias quanto grupos, casais ou individualmente.”

A estrada entre Poços e Palmeiral por enquanto é o maior problema do roteiro, já que a maior parte dela tem muitos buracos. Mas recentemente foi firmada uma parceria entre Poços e Botelhos e devem ser investidos R$12 milhões nas obras de pavimentação.

Os pacotes serão vendidos por R$35,00 (meio período) ou R$65,00 (período integral). Veja mais fotos do roteiro na página do Poços Já no Facebook.

 

Veja também
- Publicidade -
Mais do Poços Já
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
Don`t copy text!